Sistemas eletrônicos da Justiça Brasileira disponíveis em um único portal

07/04/2016 às 16:06

Escritório Digital: este é o nome da ferramenta que vai agilizar o trâmite dos processos no Judiciário. A participação dos seis estados que compõe a 5ª região da Justiça Federal já está garantida (Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe). Isso porque, ontem (6), o presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região - TRF5, desembargador federal Rogério Fialho Moreira, assinou o convênio com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para aderir ao novo software.

           

            Desta forma, os operadores do Direito (advogados, procuradores, defensores públicos, membros do Ministério Público) poderão consultar andamento de processos, enviar petição, ajuizar nova demanda, receber intimações, controlar prazos e compartilhar informações com outros advogados em um só ambiente, independentemente do tribunal no qual o processo estiver. Não será mais necessário entrar no sistema do Processo Judicial Eletrônico (PJe) ou nos outros sistemas de controle processual das várias cortes.

           

             De acordo com Fialho, o TRF5 implantará a ferramenta até julho. “É uma antiga reivindicação da classe dos advogados, pois não será preciso cadastrar e aprender a operar cada um dos sistemas, enquanto não houver a total unificação em torno doPJE”, ressaltou.

           

             A ideia é que, futuramente, o Escritório Digital esteja disponível a todos os cidadãos, já que o funcionamento ocorre por meio de qualquer navegador de acesso à internet (Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome, Safari), seja qual for o sistema operacional utilizado pelo usuário. No entanto, ainda não há previsão para o lançamento de aplicativo para smartphones e tablets.

           

             O suporte ao sistema Escritório Digital será feito pelo CNJ. As demandas sobre possíveis falhas poderão ser encaminhadas para o e-mail sistemasnacionais@cnj.jus.br, da Seção de Atendimento ao Usuário.

             

            Também participaram da solenidade de assinatura do convênio o presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Francisco Falcão, e o corregedor do TRF da 2ª Região, desembargador federal Guilherme Couto de Castro.

 

 

Texto: Assessoria de Comunicação Social do TRF5

Foto: Luiz Silveira/Agência CNJ


 Imprimir