JFPB promove capacitação em PJe para a Polícia Federal

24/03/2017 às 15:53

 

         A Justiça Federal na Paraíba (JFPB) realizou, na tarde desta sexta-feira (24), no seu edifício-sede, curso de capacitação em Processo Judicial Eletrônico (PJe) para delegados e escrivães da Polícia Federal, bem como para os servidores da Seção Judiciária paraibana que atuam com processos criminais, totalizando 30 pessoas.

 

         Em discurso de abertura do treinamento, o diretor do Foro da JFPB, juiz federal Rudival Gama, destacou que a Justiça Federal está seguindo a tendência do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) de uniformizar os sistemas processuais eletrônicos. "Incentivamos a capacitação nestes recursos da tecnologia da informação objetivando promover o exercício eficaz da prestação jurisdicional”, ressaltou.

 

         As instrutoras Telma Motta e Sandra Régia, daquele Tribunal, abordaram, através de recursos audiovisuais, aspectos relacionados  ao funcionamento  geral  do sistema, tais  como painel do  usuário, cadastro,  processos em segredo de justiça e audiências de custódia. "Focamos na utilização do painel para ingresso e acompanhamento de todas as ações de interesse da Polícia Federal", disse Telma. 

 

         O diretor da ESMAFE-PB, juiz federal Bruno Teixeira, destacou a necessidade da realização do curso. "A partir do ano que vem, em absoluto, todas as Varas Federais estarão já prontas para o processo judicial eletrônico. Então, precisamos nos preocupar com o treinamento dos nossos servidores, dos juízes e também dos parceiros na atividade processual, como a Polícia Federal, Ministério Público e OAB", pontuou.

 

Saiba mais:

                  

         O diretor do Foro, juiz federal Rudival Gama do Nascimento, assinou, no dia 9 de dezembro, a Portaria 076/2016, que estabeleceu a utilização obrigatória, começando no dia 9 de janeiro de 2017, do Processo Judicial Eletrônico (PJe) para ajuizamento e tramitação das demandas judiciais para as classes de natureza penal que circularem na Seção Judiciária da Paraíba. Esse foi mais um passo dado visando à transformação total do processo físico em virtual.

 


 Imprimir